Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

13 de Junho de 2012, 10:23

Internet

S. João da Madeira torna-se primeiro município do país com cobertura quase integral de wireless gratuita

Por enquanto, a avaliação da cobertura de rede em 166 pontos do concelho demonstra que 88,5 por cento desses locais revelam "boas velocidades". Por enquanto, a avaliação da cobertura de rede em 166 pontos do concelho demonstra que 88,5 por cento desses locais revelam "boas velocidades". Imagem: Inês Alves

A gestão do serviço foi atribuída à operadora Optimus em concurso público internacional e o presidente da Câmara Municipal garantiu à Lusa: "Esta será a primeira cidade do país com cobertura wireless quase integral, o que representa uma situação pioneira em Portugal e rara também na Europa".

Castro Almeida anuncia que "a rede está vocacionada para a rua, para que todos possam aceder à internet a partir dos seus portáteis ou telemóveis", mas realça que no contrato com a Optmus "ficou também estabelecido que todas as casas dos bairros sociais terão acesso ao serviço a partir do seu interior".

Essas duas circunstâncias refletem as principais razões que levaram a autarquia a investir na infraestrutura: "Uma motivação é de ordem prática geral, no que o objetivo é garantir que qualquer pessoa pode tratar dos seus assuntos facilmente, a partir de qualquer ponto da rua. E outra é de caráter social, no que a preocupação da Câmara é assegurar a igualdade de oportunidades entre as crianças cujos pais podem pagar internet e as crianças dos bairros sociais, cujas famílias nem sempre podem gastar dinheiro nesse serviço".

A nova rede wireless de S. João da Madeira irá abranger todas as áreas residenciais e empresariais do concelho, permitindo a moradores e visitantes a utilização gratuita do serviço em todos os suportes com acesso a internet.

Na fase inicial do concurso público para instalação da Sanjonet, a estruturação do sistema contou com a consultadoria do INESC Porto (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores), que, a partir de agora, estudará o funcionamento da rede com os formandos de um programa doutoral que envolve o ensino universitário norte-americano.

Procedendo à experimentação de novas soluções e serviços adicionais, o INESC irá assim contribuir para a segunda etapa do processo, já que, segundo fonte da autarquia, é agora necessário "verificar quais são as zonas do concelho que irão gerar mais procura" e, em função dessa distribuição de acessos, "iniciar os adequados reforços da largura de banda".

Por enquanto, a avaliação da cobertura de rede em 166 pontos do concelho demonstra que 88,5 por cento desses locais revelam "boas velocidades".

Nos bairros sociais essa percentagem sobe, aliás, para 89,74 por cento e, em 30 locais identificados como de grande interesse público, o desempenho da Sanjonet atinge mesmo os 93,33 por cento.

"Só em três pontos da cidade foram detetados problemas, que estão em vias de resolução", admite a mesma fonte. "Em cada um desses locais basta, no entanto, um movimento de poucos metros em qualquer direção para se apanhar rede em boas condições".

O acesso à internet estará disponível por 30 minutos sem implicar quaisquer condições. Usos mais prolongados já obrigam o utilizador a inscrever-se como utente do serviço, após o que cada um dos inscritos terá depois direito a um tráfego máximo de 2 Gigabites por mês.

A apresentação oficial da Sanjonet está marcada para as 17:00 de quinta-feira e deverá contar com a presença do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

SAPO

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade