Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

15 de Novembro de 2012, 16:58

Detidos na manifestação em frente ao parlamento ainda não foram presentes a tribunal

Entre os nove detidos, todos do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 20 e os 65 anos, encontram-se um italiano Entre os nove detidos, todos do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 20 e os 65 anos, encontram-se um italiano Imagem: JOSE SENA GOULAO/LUSA

Os nove detidos, que respondem por desobediência, resistência e coação a agentes da autoridade e danos, eram para ser presentes ao juiz do tribunal de pequena instância a partir das 10:00, mas a inquirição foi adiada para as 14:15.

No entanto, às 16:40 a inquirição ainda não tinha começado. A lei estabelece que os detidos sejam presentes a tribunal num período de 48 horas.

Entre os nove detidos, todos do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 20 e os 65 anos, encontram-se um italiano, tendo os restantes nacionalidade portuguesa, um dos quais é sindicalista.

Depois de detidos, a polícia encaminhou-os para as esquadras de Penha de França, Calvário e Monsanto.

De acordo com fonte judicial, haverá processos diferentes, uma vez que entre os detidos estão, alegadamente, "dois profissionais de desacatos".

Segundo a polícia, 21 pessoas foram identificadas, entre as quais um menor

O advogado de um dos detidos, Vasco Marques Correia, presidente do Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados, disse em declarações aos jornalistas que o seu cliente "foi detido ilegalmente e que assim permaneceu durante 13 horas quando a lei permite apenas seis horas".

De acordo com o advogado, o seu cliente ainda não sabe de que crimes é acusado, o mesmo acontecendo com outros dos detidos na manifestação de quarta-feira.

SAPO

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade