19 de Março de 2013, 08:50

CCB recebeu quase 10 milhões de visitantes em 20 anos

Centro Cultural de Belém abriu ao público a 10 de junho de 1993 Centro Cultural de Belém abriu ao público a 10 de junho de 1993 Imagem: Manuel Moura / Lusa

De acordo com os dados sobre as taxas de ocupação no CCB entre 1993, ano da inauguração - a 21 de março - e 2012, o centro cultural recebeu um total de 2.859.983 espetadores para cerca de 7.520 sessões de espetáculos.

A este valor somam-se os 3.163.997 visitantes das exposições que o CCB apresentou, no centro de exposições, entre 1993 e 2007, e mais 3.677.190 que o Museu Berardo recebeu, desde esse ano até ao final de 2012, segundo dados desta última entidade.

Ao todo, 9.701.170 pessoas viram espetáculos e exposições, número que não inclui os milhares que passaram pelos espaços de restauração, lojas, pelos congressos e por eventos comerciais, organizados no complexo localizado em Belém.

Em 1993, o CCB assinalava o início da atividade como o maior centro de produção e apresentação de espetáculos do país, com uma média de sessões que passou a rondar 400 por ano, a partir de 1997, mas chegou a atingir as 544 récitas, em 2001, e 537, em 2002.

Ainda segundo as estatísticas da instituição, os períodos de maior afluência de público nos espetáculos foram em 2003, com 209 mil espetadores, e 2004, com 199 mil, quando as taxas de ocupação chegaram a atingir os 77 e 78 por cento.

Programação variada

Nestes 20 anos, a programação de espetáculos levou aos palcos do CCB desde música, teatro, dança, artistas nacionais e estrangeiros de várias áreas, tais como a soprano catalã Montserrat Caballé, a meio-soprano italiana Cecília Bartoli, a coreógrafa alemã Pina Bausch, o maestro catalão Jordi Savall, o compositor norte-americano Philip Glass, a banda Sigur Rós ou os pianistas norte-americanos Uri Caine e Keith Jarrett.

Foi no CCB que se estrearam os portugueses The Gift e atuaram, entre outros, Maria João Pires, Bernardo Sassetti, os Madredeus, os GNR, Sérgio Godinho, Luís Represas, Jorge Palma, Mariza, Camané, Fausto e Jorge Palma.

Em relação às exposições, o módulo que as recebia - Centro de Exposições - passou a ser ocupado pelo Museu Coleção Berardo, desde junho de 2007, mas, anteriormente, ao longo de quase 14 anos, um total de 3.163.997 pessoas viram as várias mostras organizadas pelo CCB.

Entre 1993 e 2006 - antes de o Centro de Exposições encerrar para acolher o Museu Berardo, em junho de 2007 - foram muitos os artistas portugueses e estrangeiros que aí apresentaram a sua obra, nomeadamente, entre os criadores nacionais, Rui Chafes e Alberto Carneiro, que atraíram quase 91 mil visitantes cada, enquanto a grande exposição sobre a obra de Paula Rego, em 1997, acolheu cerca de 62 mil.

A exposição individual mais visitada de sempre no Centro de Exposições do CCB realizou-se em 2005: abordava a vida e obra da pintora mexicana Frida Khalo e atraiu 105.220 visitantes, número só ultrapassado no Centro de Exposições por uma exposição temática intitulada "Aeroespacial", com 108.903 entradas.

Foi também muito visitada a exposição "Viagem ao Século XX", com mais de 91 mil entradas, "O Triunfo do Barroco", com 74 mil, "La Vilette", com 63 mil, "Passo a Passo. Evolução Humana", com 53 mil, "À Prova de Água", com 43 mil, "Pop Art", com 35 mil.

No Museu Berardo, as cinco exposições mais vistas, em seis anos, foram a de abertura, com 456.347 visitantes, e as mais recentes, em 2012, também com base no acervo do colecionador, com cerca de 200 mil visitantes.

A exposição "Sem Rede", de Joana Vasconcelos, realizada em 2010, recebeu 167.852 visitantes.

Lusa

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade