Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

25 de Julho de 2008, 06:28

CPLP/Cimeira: Portugal assume hoje a presidência da comunidade lusófona

Ao longo do dia, os representantes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste deverão aprovar as recomendações saídas da XIII Reunião do Conselho de Ministros, que decorreu quinta-feira no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Sob o lema "Língua Portuguesa: Um Património Comum, Um Futuro Global", a cimeira assinala também a transferência para Portugal da presidência rotativa da organização, que contará também, ao longo dos próximos dois anos, com a liderança do Conselho de Ministros da comunidade lusófona.

O chefe de Estado português, Aníbal Cavaco Silva, receberá a presidência das mãos do seu homólogo da Guiné-Bissau, João Bernardo "Nino" Vieira, enquanto o chefe da diplomacia portuguesa já preside ao Conselho de Ministros desde quinta-feira, dia em que cessou funções a sua homóloga guineense, Maria da Conceição Nobre Cabral.

Outra transferência de competências assinala igualmente a cimeira, uma vez que o cabo-verdiano Luís Fonseca termina os quatro anos de mandato na liderança do secretariado-executivo, dando lugar ao guineense Domingos Simões Pereira.

Os projectos da presidência portuguesa para os próximos dois anos deverão ser aprovados pelos chefes de Estado e de Governo, tendo como pano de fundo o "eixo prioritário" da promoção e valorização da Língua Portuguesa no mundo, bem como harmonizar os direitos de cidadania no espaço lusófono e fomentar a concertação político-diplomática.

A cimeira permitirá também ao Senegal juntar-se à Guiné Equatorial e às ilhas Maurícias (integrados na Conferência de Bissau, em Julho de 2006) como observador associado da CPLP e reconduzir a linguista angolana Amélia Mingas como directora do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP).

Para aprovação haverá também uma série de resoluções relativas à promoção da Língua Portuguesa, combate à SIDA, reforço da participação da sociedade civil e circulação de bens culturais no espaço lusófono.

Presentes na Cimeira estão os chefes de Estado do Brasil (Luiz Inácio Lula da Silva), Cabo Verde (Pedro Pires), Guiné-Bissau (João Bernardo "Nino" Vieira), Portugal (Aníbal Cavaco Silva), São Tomé e Príncipe (Fradique de Menezes) e de Timor-Leste (José Ramos-Horta).

A delegação de Angola é liderada pelo primeiro-ministro, Fernando Dias dos Santos Piedade ("Nandó"), enquanto a delegação de Moçambique é chefiada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Oldemiro Balói.

Presente deverá estar ainda o chefe de Estado da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, o representante do MNE das ilhas Maurícias Jacques Balyon, e o chefe da diplomacia do Senegal, Cheikh Tidiane Gadio, bem como o presidente da União Africana (UA), Jean Ping, e outras individualidades ligadas a organizações internacionais e africanas.

JSD.

Lusa/Fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade