Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

27 de Dezembro de 2007, 13:55

Paquistão: Benazir Buttho morre em atentado suicida às 13h16m - oficial

«Às 06:16 ( 13:16 em Lisboa) ela expirou,», disse Wasif Ali Khan, membro do partido de Bhutto que estava no hospital de Rawalpindi.

Uma fonte militar, que falou na condição de manter o anonimato por não estar autorizado a comentar o assunto, confirmou que Bhutto morrera.

Os seus apoiantes no hospital começaram aos gritos «Musharraf, cão» referindo-se ao Presiente paquistanês.

Alguns apoiantes partiraam vidraças na principal porta de entrada do hospital, enquanto outros lavados em lágrimas não escondiam o desespero.

Um homem com uma bandeira do Partido dos Povos do Paquistão amarrada à cabeça batia violentamente no peito.

O senador Babar Awan, advogado de Bhutto, disse, que «os médicos confirmaram que ela tinha sido martirizada».

Pelo menos 20 outras pessoas morreram na explosão que ocorreu à esquerda do local onde Bhutto se encontrava no comício quando s edirigia a milhares de apoiantes.

Bhutto cumpriu dois mandatos como primeira-ministra do Paquistão entre 1988 e 1996 e tinha regressado a 18 de Outubro ao Paquistão após oito anos de exílio.

O seu comício de boas vindas em Carachi foi alvo de um atentado suciida que matou dez pessoas e feriu 140, tendo escapado à justa nessa ocasião.

SRS.

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade