Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

31 de Janeiro de 2009, 11:07

Saúde: Estado deverá arrecadar 69,3 milhões em taxas moderadoras em 2008

Segundo a previsão da ACSS, uma vez que as contas ainda não estão fechadas, a maior fatia de taxas cobradas regista-se nos hospitais (43,9 milhões), seguindo-se as Administrações Regionais de Saúde (25,3) e os serviços autónomos (0,1).

Em 2007, o Estado cobrou 71,1 milhões de euros, divididos em 42,2 milhões nos hospitais, 28,8 milhões nas Administrações Regionais de Saúde (ARS) e também 0,1 nos serviços autónomos.

O montante global cobrado em 2006 tinha sido de 60,3 milhões de euros.

Em relação à facturação, a informação da ACSS fornecida à Agência Lusa refere que no ano passado o valor deverá ser de 70,8 milhões de euros.

Nas consultas foi somada uma facturação de 31,8 milhões de euros, nas urgências e serviços de atendimento permanente (SAP) 18,6 milhões e nos meios complementares de diagnóstico e terapêutica 15,7 milhões.

Em relação aos internamentos, a facturação deverá ascender aos quatro milhões de euros, enquanto em 2007 esse valor tinha sido de 2,8 milhões.

As taxas de internamento entraram em vigor a 01 de Abril de 2007, cobrando-se cinco euros por dia, até um limite de dez dias.

Estes valores foram depois actualizados, fixando-se nos 5,10 euros por dia de internamento.

A partir de domingo, a factura passa a ser de 5,20 euros, segundo a tabela de actualização publicada no passado dia 15 em Diário da República.

PL.

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade