Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

05 de Fevereiro de 2008, 13:35

Moçambique: "Situação tende para uma normalização progressiva" - SE Comunidades

Segundo António Braga, "as missões diplomáticas portuguesas estão em contacto com as autoridades moçambicanas e a seguir a evolução da situação, que tende para uma normalização progressiva".

"Apesar de ter havido situações de confronto em zonas de concentração de transportes colectivos, a situação nunca foi muito tensa", adiantou António Braga. Mas o governante afirmou que foi decidido "fechar a escola Portuguesa como mera medida de precaução".

As manifestações são uma reacção popular ao aumento da tarifa de "chapa", o meio de transporte utilizado pela maioria da população (uma viagem interurbana que antes custava cinco meticais (14 cêntimos) passou para 7,5 meticais (21 cêntimos) e a que antes custava 7,5 meticais passou agora a custar 10 meticais (28 cêntimos).

A reacção policial já fez pelo menos seis feridos - testemunhas oculares têm falado num morto, que não foi confirmado pelas autoridades -, de acordo com o primeiro balanço oficial.

A capital moçambicana tem estado desde o início da manhã a ser palco de violentas manifestações de populares, que já fizeram seis feridos, em protesto contra a entrada em vigor hoje da nova tarifa dos transportes semi-colectivos ("chapa").

Cerca de 9.000 portugueses vivem em Maputo. Em todo o território moçambicano, o número ascende a 18.000.

HB.

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade