Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

21 de Abril de 2008, 17:40

Madeira: Jardim diz que seguirá orientação do PR para resolver problemas com Governo de forma civilizada

Alberto João Jardim falava na inauguração de uma escola no concelho da Ribeira Brava, um investimento na ordem dos cinco milhões de euros, no âmbito da política de qualidade do ensino na Madeira.

"O Governo Regional seguirá a orientação e esforços do Presidente da República, no sentido de procurar concertar democraticamente com o Governo da República e resolver civilizadamente os graves problemas que pendem", declarou.

Contudo, Jardim acrescentou "ser preciso que as coisas efectivamente se resolvam, que não fiquem só pelas doses do politicamente correcto", apontando que se tem verificado um contraste entre a "atitude sadia e louvável dos membros do Governo da República quando na Madeira, enquanto simultaneamente, lá fora, a região é politicamente agredida".

"Pode o Governo da República contar com a nossa disponibilidade de contribuir para o bem comum dos portugueses e, ao mesmo tempo, com o empenho de defender o direito do povo madeirense", disse.

Jardim aproveitou para criticar as "habituais campanhas mentirosas" da comunicação social dominada pela "esquerda" que "põe em causa o pluralismo democrático em Portugal, reafirmando que as suas afirmações sobre o comportamento dos deputados madeirenses "foram desonestamente difundida".

Jardim declarou também que a "política de educação não se faz contra os professores", elogiando o facto da Madeira não ter tantos problemas como o restante do país devido "à qualidade dos professores que trabalham neste território" e defendendo reformas de fundo para o ensino.

"Infelizmente, aspectos colonialistas da Constituição de 1976, vêm impedindo a região de instituir legislativamente um sistema de educação regional ainda melhor. Trata-se de nos ter amarrados a uma situação dolosa e ideologicamente instalada pela esquerda portuguesa", concluiu.

AMB

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade