Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

24 de Outubro de 2008, 05:03

Religião: Associação Ateísta recorre ao primeiro-ministro para esclarecimento de peregrinação de militares a Lourdes

Na carta enviada a José Sócrates, a que a Agência Lusa teve acesso, o presidente da Associação Ateísta Portuguesa (AAP), Carlos Esperança, recorda os pedidos de esclarecimento enviados a 2 de Junho ao ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira, e que por este nunca terão sido prestados.

Com base numa notícia difundida pela agência Ecclesia, a AAP ficou a saber que "Portugal levou 700 peregrinos [militares] ao Santuário de Lourdes (França) para participarem numa Peregrinação Militar Internacional".

No entender da AAP, "num Estado laico, as Forças Armadas não devem apoiar oficialmente a devoção a uma religião".

Acresce que, para a AAP, "o facto de um cardeal austríaco ter presidido à peregrinação e dado instruções aos militares portugueses configura uma grave interferência na soberania de um país laico e uma usurpação de funções que cabem ao Ministério da Defesa Nacional ou, por delegação, aos chefes dos estados-maiores".

Pergunta assim a AAP se "os militares peregrinos viajaram a título particular ou oficial" e se "usaram as férias normais ou tiveram uma semana suplementar para este propósito".

Quer ainda saber a AAP se "as Forças Armadas colaboraram na despesa da expedição eucarística" e "no caso de ter havido custo para o Erário Público, qual a disposição legal aplicada e o cabimento orçamental previsto".

Finalmente, Carlos Esperança interroga, em nome da AAP: "Por se tratar de uma missão militar no estrangeiro, foi autorizada pelo Comandante Supremo das Forças Armadas, o senhor Presidente da República?"

OM.

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade