Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

19 de Novembro de 2007, 17:12

Vila do Conde/Assalto: PSP cerca dependência bancária e liberta reféns já depois do único assaltante ter fugido

O episódio foi revelado à Lusa por uma fonte oficial da PSP, no local, admitindo que as forças policiais mobilizaram cerca de meia centena de efectivos para cercar um edifício, onde o homem que procuravam já tinha saído.

A PSP foi alertada para a tentativa de assalto "pouco depois das 13:30", segundo a fonte, tendo, de imediato montado um dispositivo que isolou toda a zona onde se encontra a agência bancária.

João Lima, vendedor de um stand de automóveis nas imediações, revelou à Lusa ter visto "um cliente a entrar no banco", que terá recuado depois de, alegadamente, ter visto "duas senhoras deitadas no chão".

As duas senhoras serão as funcionárias do banco que permaneceram reféns, sem, no entanto, terem um sequestrador por perto.

"As senhoras pensavam que o assaltante ainda estava lá dentro e, por isso, não saíram", admitiu a fonte policial à Lusa.

A testemunha contactada pela Lusa disse ter-se apercebido de que existiam dois homens envolvidos no assalto, "um dentro do banco e outro cá fora".

A PSP não confirma o número de assaltantes, até porque, quando chegou ao local, já só havia reféns no interior do banco.

O assalto acabou por não ser consumado, tendo a polícia confirmado que "não foi roubado nada".

No local acabaram por se concentrar algumas centenas de populares, que aproveitaram para se manifestar contra o alegado aumento da insegurança.

"Há pouca polícia", sentenciou Fernando Silva, morador na zona, enquanto uma vizinha, Fernanda Araújo, defendia que o assalto "foi obra de gente de fora".

A Polícia Judiciária já iniciou as investigações para tentar apurar os contornos deste assalto insólito e rocambolesco.

FR/JGJ

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade