Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

16 de Abril de 2009, 17:01

Açores: Associação Agrícola da Ilha Terceira lança nova marca de leite com nova fábrica

Paulo Simões Ferreira, que falava na apresentação do programa da XI Feira Agro-Comercial da Ilha Terceira (Agroter 2009), que decorre de 23 a 26 de Abril, adiantou que a nova fábrica vai produzir, numa fase inicial, cerca de 40 mil litros de leite por dia.

Para o presidente da AAIT, a nova infra-estrutura surge "porque, sem alternativas, o leite ao produtor continuará a ser mal pago", mas também para "trazer a inovação que tem faltado para garantir as mais valias da qualidade do nosso leite".

Paulo Simões Ferreira manifestou ainda estranheza pelo facto da cooperativa da ilha [Unicol] "estar a proceder a ameaças a quem venha a vender o leite à nova fábrica", adiantando que foi convocada uma assembleia-geral daquela cooperativa para alterar os estatutos, de forma a que "os produtores que vendam leite à nova fábrica não possam voltar à cooperativa, caso a fabrica não tenha sucesso".

O dirigente associativo criticou também o que considerou serem os "escandalosos" ordenados dos administradores da Lactogal, que situou entre "413 mil e 900 mil euros por ano".

A Lactogal é a principal accionista da Pronicol, que é a única empresa de transformação de leite da ilha Terceira.

"Como é que a pagar menos 30 escudos (15 cêntimos) por litro de leite nos Açores em relação ao que paga no continente, a Pronicol deverá fechar as contas com um prejuízo de três milhões de euros?", questionou Paulo Simões Ferreira, apontando a necessidade de uma nova fábrica.

Nessa perspectiva, a AAIT lançou o projecto para a construção de uma nova fábrica de leite, orçada em 1,5 milhões de euros, que deverá começar a sua actividade até ao final do ano, produzindo leite e queijo cremoso.

Relativamente à feira agro-comercial, Paulo Simões Ferreira salientou que o certame se vai realizar "com a boa vontade da associação e dos lavradores", contando ainda com o financiamento da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas e o apoio das câmaras de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória.

Apesar da crise, "ou talvez devido a ela" segundo o presidente da AAIT, os "pavilhões da feira venderam-se este ano muito rapidamente".

O programa inclui, entre outras iniciativas, provas de vinhos históricos dos Açores, concursos de carcaças de bovinos de carne, de bovinos puros e cruzados de raça de carne e Ramo Grande (raça autóctone da ilha Terceira), além de uma largada de pombos, espectáculos musicais e concursos de caninos, ovinos e caprinos.

JAS

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade