Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

13 de Novembro de 2007, 19:26

Comunidades: Emigrantes, sindicato e PS consideram positivo Consulado Virtual

O Consulado Virtual (www.consuladovirtual.pt), que hoje entrou em funcionamento, consiste num sistema que, via Internet, disponibiliza serviços e informações até agora apenas acessível directamente nos postos e secções consulares portuguesas no estrangeiro.

Paulo Pisco, director do departamento de comunidades do PS, disse à Agência Lusa que o Consulado Virtual "é uma revolução tecnológica" nos consulados, que vai facilitar a vida dos trabalhadores consulares dos emigrantes.

o dirigente do PS salientou ainda que este sistema vai permitir que os cidadãos com dificuldades em se deslocarem tenham acesso a um maior número de actos consulares.

O Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Diplomáticas (STCDE) também se congratulou com este novo sistema, destacando a facilidade com que os utentes podem a partir de agora obter documentos.

"Tudo o que seja para modernizar e facilitar a vida das pessoas sem criar problemas é de aplaudir", disse à Lusa Jorge Veludo, secretário-geral do STCDE.

Jorge Veludo adiantou que a marcação de serviços nos consulados pode facilitar o atendimento e evitar as filas de espera à porta dos postos, mas também pode contribuir para o aumento "das filas de espera virtuais".

Por sua vez, o presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas, Carlos Pereira, disse à Agência Lusa que o Consulado Virtual é positivo, mas "não vai substituir os consulados".

"É importante que existam estes mecanismos para evitar a burocracia nos consulados", afirmou, acrescentando, no entanto, que o Consulado Virtual "não resolve todos os problemas" dos emigrantes.

Segundo o presidente daquele órgão de consulta do governo para as questões da emigração, os cidadãos vão continuar a deslocar-se aos consulados, uma vez que a maior parte dos documentos pedidos exigem a presença física.

"Os consulados nem vão notar a chegar do Consulado Virtual", salientou ainda Carlos Pereira.

Através do Consulado Virtual, que hoje entrou em funcionamento, os portugueses residentes no estrangeiro podem pedir, via Internet, certidões de nascimento, óbito, casamento, bagagem, residência e importação de automóvel, registo de um bebé e pedido da nacionalidade portuguesa, além de marcarem atendimento nos consulados.

Os cidadãos estrangeiros também podem pedir um visto através do Consulado Virtual, necessitando apenas de o ir buscar ao consulado.

Os emigrantes que não disponham de acesso à Internet em casa, podem ter aceder ao Consulado Virtual através dos quiosques multimédia que vão ser distribuídos nas associações e serviços públicos com maior afluência de portugueses.

CMP.

Lusa/Fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade