Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

26 de Maio de 2011, 20:59

Eleições: PSD/Bragança insiste na isenção de portagens depois do "não" de Passos Coelho, PS fala em "pouca seriedade"

O presidente do PSD disse hoje, em campanha no Distrito de Bragança, que "não haverá nenhuma "moratória especial" para esta região, ao contrário do que defendem as estruturas locais sociais-democratas, sublinhando que o partido só tem uma posição: "todas as autoestradas devem ser portajadas".

O cabeça de lista do PSD por Bragança, Francisco José Viegas, reconheceu que, depois da posição de Pedro passos Coelho, "fica mais difícil", mas "política é negociação" e garantiu que a isenção de portagens em Bragança "é uma proposta com que tem de ser confrontado o próximo Governo".

"Existe essa proposta por parte do PSD no Distrito de Bragança. Não é uma exceção. Temos de avaliar, há muitas formas de fazer isto", disse à Lusa.

Francisco José Viegas entende que "é mais perigoso e mais ridículo politicamente dizer que não vai haver sem ter em conta as outras condicionantes, nomeadamente os fatores de política nacional".

"O PS promete que não vai haver portagens. Acho isso completamente ridículo nas condições atuais", declarou.

O cabeça de lista do PS e presidente da federação distrital socialista, Mota Andrade, acusou os sociais-democratas de "pouca seriedade" e de terem "um discurso local e um discurso nacional".

"O cabeça de lista diz que haverá período de carência, o líder do partido vem dizer que não. Ou há aqui uma profunda desorientação ou então houve má fé, a ver se passava", afirmou, em declarações à Lusa.

O dirigente socialista considerou que a moratória que tem sido defendida a nível local pelo PSD de "alguns anos sem portagens como uma espécie de compensação pelo isolamento da região" "era uma medida eleitoralista, demagógica para conquistar alguns votos".

A autoestrada Transmontana, que liga Vila Real a Bragança, numa extensão de 130 quilómetros, tinha sido anunciada pela primeiro-ministro, José Sócrates, como a "autoestrada da justiça", sem portagens para o utilizador, pelo isolamento e por o distrito de Bragança ser o único do país sem um quilómetro de autoestrada.

Durante uma visita às obras, em fevereiro, José Sócrates anunciou que afinal irá ter o mesmo regime das SCUT, com uma isenção para os residentes, justificando o novo modelo com o acordo celebrado com o PSD para a aprovação do Orçamento do Estado para 2011.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, assegurou hoje que o partido só tem uma posição sobre a cobrança de portagens nas autoestradas, defendendo que "todas" devem ser portajadas.

Questionado em concreto sobre a autoestrada Transmontana, o líder social-democrata respondeu de forma taxativa: "não há nenhuma dúvida de que todas as autoestradas em Portugal serão portajadas" e não haverá nenhuma "moratória especial" para a região.

A única coisa que irá acontecer, acrescentou, será que haverá a necessidade de adequar o valor da portagem ao grau de desenvolvimento da região.

"As regiões que tiverem um desvio significativo para a média nacional podem ter um desconto na portagem a ser fixada", adiantou.

HFI (VAM)

Lusa/fim

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade