Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

19 de Março de 2011, 12:48

PEC: PSD acusa Governo de mentir sobre compromisso europeu e promete assumir as suas responsabilidades

Em conferência de imprensa, na sede nacional do PSD, em Lisboa, Paula Teixeira da Cruz declarou que o Governo "assumiu por escrito" com as instituições europeias as novas medidas de austeridade, "como se prova pelas cartas enviadas à Comissão Europeia e ao Banco Central e ainda, e sobretudo, pelo comunicado conjunto emitido por estas duas instituições".

Esse comunicado "é bem claro e bem expresso ao referir que estas medidas serão monitorizadas pela Comissão Europeia, pelo Banco Central e pelo FMI", referiu Paula Teixeira da Cruz.

E, apesar disso, o Governo "veio anunciar disponibilidade para negociar essas medidas, quando sabe que não o pode fazer por ter assumido o compromisso com as instituições europeias", acrescentou.

"Depois da deslealdade, veio a mentira. Esta atuação confirma o embuste e falta de credibilidade", concluiu Paula Teixeira da Cruz, reiterando que "o PSD vai votar contra" o novo Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) e que não há "qualquer possibilidade de negociação" com o Governo.

Questionada se o PSD vai apresentar um documento que sujeite o PEC a votação, respondeu: "Há questões regimentais, devido aos agendamentos potestativos que estão já solicitados na Assembleia da República que podem inviabilizar isso. mas naturalmente, se a janela de oportunidade se abrir, não deixaremos de assumir as nossas responsabilidades".

"Depois de ter mergulhado o país na maior crise económica e social de que há memória, o Governo precipita-nos agora numa grave crise política", considerou a vice-presidente do PSD.

O jornal Expresso avança hoje que José Sócrates se comprometeu pessoalmente e por escrito junto da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu (BCE) a aplicar as medidas de austeridade e as reformar anunciadas a 11 de março. As medidas tinham sido comunicadas formalmente no dia anterior a serem anunciadas ao país.

Segundo o semanário, José Sócrates escreveu cartas ao presidente do BCE e ao presidente da Comissão Europeia, explicando que as medidas são compromissos do Governo.

"Gostava de partilhar consigo as orientações políticas gerais e medidas que o Governo português se compromete a adotar para enfrentar os grandes desafios económicos", escreveu o primeiro-ministro nas cartas, citadas pelo Expresso.

Segundo Paula Teixeira da Cruz "é evidente que tudo isso foi tratado no dia 10, antes da revelação ao país de uma parte das medidas de austeridade".

"O Governo diz estar preparado, pronto para negociar tudo, quando já assumiu por escrito as medidas que são já do conhecimento público. Estamos hoje a denunciar esta conduta inaceitável", rematou.

@SAPO c/Lusa

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade