Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

23 de Março de 2010, 08:13

O que precisa saber sobre o PEC (1.ªParte)

Antecipando o debate, o SAPO conversou com o jornalista económico Camilo Lourenço para saber o que está realmente em causa quando se fala no PEC.

1. O que é o PEC?

O PEC funciona como ‘um manual de bom comportamento’, diz Camilo Lourenço, ‘onde dizemos o que vamos fazer para ter as contas do país em dia’. E tal como acontece em qualquer lar português, é preciso garantir que as receitas cobrem todas as despesas.

‘No caso do Estado, é mais fácil fazer isto, porque o Estado pode gastar um pouco mais do que aquilo que recebe’. Então, qual é o problema? ‘O drama disto é que, quando começamos a endividar-nos em excesso, tem de se ir buscar dinheiro ao mercado’. E se a dívida continuar a aumentar, ‘um dia corremos o risco de deixar de poder honrar os nossos compromissos’, explica Camilo Lourenço.

2. Quem vai sentir o PEC no bolso?

‘A classe média, que é onde está o dinheiro, e sobretudo as pessoas que trabalham por conta de outrem’, acredita o jornalista. ‘Pessoas que tenham rendimentos até 7 mil euros anuais, não vão sentir nada. Mas, por exemplo, quem tem rendimentos de 60 mil euros vai sentir um agravamento de 700 euros naquela que é a factura fiscal'.

'O que isto significa é que, como vamos poder reduzir menos despesas e benefícios fiscais, aquilo que vamos entregar ao Estado é mais elevado. Muito menos famílias vão receber o cheque do reembolso do IRS depois de entregar a declaração’, explica Camilo Lourenço.

3. Depois de o PEC entrar em vigor, vou pagar mais impostos?

Camilo Lourenço acredita que sim: ‘é claro que há um aumento de impostos. Não há um aumento da taxa de imposto, mas há aumento do que vamos pagar ao Estado, porque vamos poder deduzir menos também, do ponto de vista da despesa fiscal, ou seja, através de benefícios fiscais e por aí adiante’.

Mas atenção: estas medidas só serão válidas para os rendimentos de 2010, ou seja, para as declarações a entregar em 2011.

Saiba ainda...

+ Por que é que o PEC português interessa aos países europeus?

+ Por que razão está a Comissão Europeia preocupada com o PEC português?

+ O que acontece então a Portugal se não respeitar o PEC? LER MAIS

@Marco Leitão Silva/Catarina Osório

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade

publicidade