Página gerada às 13:44h, sexta-feira 15 de março

Magazine

O mundo para além das notícias, todas as quartas-feira

Nota da redacção SAPO: a secção Magazine foi descontinuada

Maldivas: e se o paraíso se afundar?

De acordo com estudos recentes, o arquipélago paradisíaco das Maldivas pode desaparecer nas próximas décadas, vítima da subida do nível médio das águas do mar. Cerca de 80% do território das Maldivas está a menos de 1 metro acima do nível do mar e, de acordo com os cientistas reunidos no Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, reunido em Copenhaga no início de Março, é previsível que até 2100 a subida das águas do mar atinja cerca de 1 metro.

Já em 2004 o tsunami que devastou o sudeste asiático provocou grandes estragos nas Maldivas – um país constituído por quase 1200 ilhas, agrupadas em 26 atóis, que é um dos destinos turísticos de "sol e mar" mais cobiçados do planeta e que faz parte dos candidatos às Sete Maravilhas Naturais do Mundo. Para o governo e para as populações tornou-se palpável a fragilidade do seu modo de vida e o risco iminente de uma catástrofe lenta, mas mais definitiva.

O presidente Mohamed Nasheed anunciou há duas semanas um plano ambicioso para reduzir a zero as emissões de carbono das Maldivas, num prazo de 10 anos. Embora a medida vá ter um impacto quase nulo na subida dos níveis da água, funciona como exemplo simbólico de vontade política de um país pequeno que está em risco devido a uma crise ambiental em que os maiores responsáveis são os grandes países industrializados.

Mensagem do presidente das Maldivas sobre a redução das emissões de carbono.



Quanto ao futuro, as hipóteses na mesa são várias. O governo anunciou a criação de um fundo para compra de um território alternativo, para onde a população seria transferida quando as águas subissem demasiado. Há outras hipóteses – construção de barreiras artificiais de defesa, em betão (já existentes na capital, Malé), reforço dos recifes de coral, ou construção de ilhas artificiais. Seja qual for a solução, ela terá de acomodar os 380 mil habitantes das ilhas. E se é relativamente fácil desviar para outra praia paradisíaca as rotas dos mais de 700 mil turistas que anualmente visitam as Maldivas, o mesmo não se pode dizer da história e da cultura do país.

As Maldivas não são o único território ameaçado a curto prazo por uma subida do nível das águas do mar. Se estas subirem 1 metro, ficarão submersos também os estados insulares de Kiribati e Tuvalu, e haverá inundações graves na Holanda, Florida (EUA), Inglaterra, e Egipto (sobretudo, Alexandria). Cidades como Londres precisarão de medidas de reforço para resistirem às águas.

Imagem:
Shahee Ilyas, licença GFDL

Saber mais:
Vista aérea das Maldivas
Maldivas: história e informação sobre o país
Site do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas
Site do Departamento de Informação do Governo das Maldivas

25 de março de 2009


Comentários

Critério de publicação de comentários