Isto é uma página de arquivo

Todas as notícias do dia estão agora disponíveis na página principal do portal SAPO

08 de Agosto de 2007, 11:16

Olhão: Requalificar bairro histórico com criação de núcleo museológico é objectivo de projecto local

O Bairro da Barreta, situado junto à frente ribeirinha, é o mais antigo de Olhão e constitui a base do que veio a tornar-se a actual cidade, distinguindo-se de outros aglomerados devido às casas de arquitectura "cubista".

Olhão é conhecida como a cidade "cubista" pela arquitectura singular das casas que, ao contrário das tipicamente algarvias, que têm apenas uma açoteia, crescem em degraus, formando uma espécie de pirâmide de cubos.

Formado em meados do século XVIII, o bairro encontra-se actualmente bastante degradado e foi perdendo, ao longo dos anos, as características originais, devido à ausência de regras de construção e de um plano de revitalização.

"Uma das nossas propostas é que seja criado um plano de pormenor para a área", disse à Lusa António Paula Brito, presidente da direcção da Associação de valorização do património Cultural e Ambiental de Olhão (APOS), responsável pelo projecto.

O objectivo central do plano, que demoraria cerca de sete anos a concretizar, é a criação de um novo pólo de atracção turística na cidade, onde escasseiam equipamentos culturais, através de um circuito museológico.

"A ideia passa por alugar ou comprar pequenas casas que poderiam servir como núcleos dedicados, por exemplo, ao cubismo, às lendas de Olhão, artes de pesca ou salinicultura", exemplificou.

A APOS defende também a criação de uma entidade para a promoção do desenvolvimento do bairro e o apoio ao desenvolvimento de micro-empresas que desenvolvam a sua actividade no bairro.

Outra das ideias contidas no projecto é a utilização do caíque que está ancorado junto aos mercados da cidade, réplica de uma embarcação histórica, que a associação defende que seja rentabilizado, abrindo-o aos visitantes.

O projecto, que recebeu luz verde da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, foi considerado "inoportuno" pela Câmara de Olhão, que disse à APOS que iria avançar com um projecto próprio, que abarcaria não só aquele bairro como toda a zona histórica.

"Não acreditamos muito que a Câmara o faça, mas se o conseguir, estaremos aqui para aplaudir", disse António Paula Brito, sublinhando que estará atento para que a Câmara "não se esqueça" de concretizar o projecto.

A agência Lusa tentou obter um comentário do presidente da Câmara de Olhão, Francisco Leal, mas tal não foi possível em tempo útil.

MAD.

Lusa/Fim.

Agência Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários

publicidade

publicidade